Av. Vicente Machado, 1962 - Curitiba - PR (41)3026-0808 Whats App(41)99268-0808

FAQ |

Perguntas e Respostas

Compartilhar

Sobre Prenveção e Higiene

A durabilidade depende muito do procedimento realizado, dos hábitos do paciente (range os dentes, morde caneta, etc.), do consumo de alimentos e bebidas com muito corante, se é fumante, entre outros. Mas o fator mais importante para durabilidade do tratamento são hábitos corretos de higiene oral (seguir as orientações sobre escovação e fio dental) e as consultas de manutenção no cirurgião-dentista.

Sim, existem escovas e fios que dificultam a realização de uma boa higiene oral. Se fizer bochecho, preciso escovar os dentes?
 O bochecho de forma alguma substitui a escovação e o fio dental. A escolha do melhor enxaguatório deve ser analisada de acordo com a necessidade de cada pessoa.

Não. O normal é escovar, passar fio e comer sem ter sangramento gengival. Existe mais de uma causa, por isso é necessário a avaliação profissional que leva em conta as dificuldades próprias de cada pessoa.

As visitas regulares têm como objetivo manter a higiene bucal, a saúde gengival e a integridade óssea dos pacientes que já realizaram tratamento estético e reabilitador. Só com um adequado controle da higiene bucal, o sucesso do tratamento realizado terá garantia.

Sobre Odontopediatria

O hábito de sucção de chupeta, quando prolongado além do limite recomendado, pode desencadear alteração no crescimento e na harmonia dos ossos da face, como por exemplo a mordida aberta (quando os dentes superiores não tocam nos dentes inferiores) e ou mordida cruzada posterior (quando os dentes posteriores superiores não recobrem os dentes posteriores inferiores).

O ideal seria remover gradualmente este hábito até a idade de 2 anos, pois nesta fase existe a possibilidade do próprio desenvolvimento ósseo da criança corrigir as possíveis desarmonias faciais causadas pela chupeta. Caso os pais não consigam, recomenda-se que a idade de 3 anos seja o limite.

Deixe a criança o mínimo possível com a chupeta. Para isso, alguns hábitos podem ser bastante úteis como não deixar a chupeta disponível o tempo todo, tirando-a do campo de visão da criança e não ofertar a menos que ela solicite.

O flúor ajuda a fortalecer a camada mais externa do dente, diminuindo o aparecimento da cárie. É importante ressaltar que o flúor, assim como qualquer medicação, tem indicação e quantidade específica que depende da necessidade de cada criança, a qual precisa ser detectada pelo dentista que indicará se serão feitas aplicações no consultório (sob a supervisão do dentista) ou em casa (sob supervisão dos pais).

Normalmente, por volta dos seis anos.

Os primeiros dentes que nascem são os “dentes anteriores inferiores” (os incisivos centrais inferiores decíduos), por volta do 6º mês. Um alerta aos pais é para o nascimento dos “dentes posteriores” (primeiro molar decíduo), pois os mesmos nascem por volta do 16º mês, quando ainda não nasceram todos os “dentes da frente”.

Sobre Clareamento

No clareamento domiciliar monitorado, o paciente faz a aplicação em casa, mas o cirurgião-dentista o acompanha, definindo o melhor produto, a melhor concentração e o tempo de tratamento, que varia de pessoa para pessoa. Na técnica mista, realiza-se os dois tipos de clareamento com o intuito de usufruir dos benefícios das duas técnicas.

O clareamento interno, feito para dentes que passaram por um “tratamento de canal” e ficaram escuros;- o clareamento domiciliar monitorado;- o clareamento no consultório, também chamado clareamento “a laser” e a técnica mista.

O clareamento, desde que bem indicado e executado, não causa enfraquecimento dos dentes, pois sua ação restringe-se apenas ao aspecto da coloração.

A técnica de clareamento mais indicada é o clareamento interno. Realizado no consultório, consiste em colocar um produto dentro do dente para promover o clareamento. Porém, a prescrição desse tratamento é feito mediante um exame prévio e criterioso do dente em questão para verificar se não há outro tratamento mais indicado, como facetas ou coroas totais.

O processo de clareamento, além de fazer com que os dentes fiquem mais claros, é também utilizado para a padronizar a cor dos dentes. É um procedimento prévio aos tratamentos estéticos para que os dentes tenham uma cor uniforme, proporcionando um sorriso harmônico.

Sobre Tratamento Estéticos

Primeiramente é preciso descobrir a causa do desgaste, o qual pode estar associado à acidez, alterações na formação dos dentes (deixando as estruturas dentárias mais frágeis) e ou hábitos parafuncionais (quando os dentes são submetidos à forças maiores que as forças alimentares, como por exemplo, o bruxismo). O tratamento geralmente é multidisciplinar e requer um planejamento criterioso, buscando devolver não apenas a estética dental, mas uma função adequada aos dentes, à musculatura mastigatória e à articulação facial.

Uma análise estética criteriosa é realizada previamente ao tratamento. Através de um estudo das características faciais e dentais, realizamos um “enceramento diagnóstico” (uma “maquete” de como vão ficar os dentes) a qual é transferida para o paciente através de um ensaio com materiais que simulam o resultado final. Só após a aprovação do paciente, os dentes são preparados para receber as facetas em porcelana.

São lâminas refinadas em cerâmica (porcelana) aplicadas sobre a parte visível dos dentes. Elas têm como objetivo transformar o sorriso de maneira rápida e eficaz, através da personalização do sorriso. Utilizando facetas altera-se a cor, a forma e a posição dos dentes de maneira muito natural.

A Odontologia Estética evoluiu muito, juntamente com a evolução dos materiais. Da mesma maneira, as resinas — material utilizado para fazer restaurações na cor do dente — estão muito resistentes e bonitas. É importante lembrar que cada material possui sua indicação precisa, determinada através de exames específicos.

Sobre Implantes

São as chamadas Cirurgias Guiadas. É uma técnica de instalação de implantes na qual o planejamento é feito no computador e transferido para a boca do paciente através de guias cirúrgicos reproduzidos com os dados obtidos na tomografia computadorizada, viabilizando uma cirurgia sem cortes. Desde que bem indicada (não é para todos os casos), bem planejada e bem executada, é uma técnica segura.

Esta técnica é chamada de Carga Imediata. A evolução das técnicas, materiais e dos implantes permitem que, na cirurgia de instalação do implante, o mesmo seja monitorado e sabe-se com que estabilidade este implante foi instalado. Quando se obtêm uma alta estabilidade, o implante tem condições de suportar uma prótese. Essa técnica, porém, não é possível para todos os casos.

Sim, são os implantes zigomáticos. São pinos de titânio mais longos instalados em um osso da face (osso zigomático – a “maçã do rosto”), por isso são indicados para região superior nos casos de perda óssea severa, mas a sua indicação deve ser bastante criteriosa.

As reconstruções ósseas podem ser realizada através de enxerto ósseo obtido do próprio paciente (são os enxertos autógenos), de materiais que promovem a estimulação óssea ou de materiais que atuam como substitutos ósseos. O que determina a escolha da enxertia é a quantidade de osso ausente.

Será necessária a realização de procedimentos de enxertia óssea, induzindo a uma neoformação óssea para viabilizar a instalação de implantes.

É preciso uma avaliação prévia. Primeiro é feito um exame detalhado analisando a condição óssea, gengival e a harmonia do sorriso com as linhas faciais e solicitado uma tomografia computadorizada (um exame mais preciso para análise de espessura e altura óssea). Com todas essas informações, é realizado um plano de tratamento no qual pode indicar uma cirurgia de regeneração óssea prévia para, posteriormente, instalar os implantes.

Atualmente existem muitos recursos e técnicas que tornaram as cirurgias muito tranquilas e as possíveis dores são muito bem controladas com medicação.

O implante é a única alternativa protética que promove a preservação do tecido ósseo. O fato de ser instalado dentro do osso é o seu diferencial, pois paralisa o processo de atrofia óssea que teve início com a remoção do dente.

É um pino instalado no osso que fica dentro da gengiva. O implante tem por objetivo substituir a raiz do dente perdido para que suporte uma prótese (uma réplica do dente).

Sobre Aparelhos Ortodonticos

Os alinhadores parecem com placas para clareamento dental, mas são personalizados para uma movimentação dentária sequencial. Alguns ortodontistas se referem a eles como a “lente de contato dos dentes”.

É transparente, removível e confortável. Seus dentes vão sendo endireitados sem ninguém perceber. Diferentemente de aparelhos fixos, você pode comer e beber o que quiser durante o tratamento. Não existem fios ou metais que possam causar irritações na boca e, sem eles, o tempo na cadeira do seu ortodontista para ajustes será menor.

Os alinhadores usam tecnologia de imagem 3-D para descrever um completo plano de tratamento com imagens da posição inicial até a posição final desejada, a partir de uma série de “alinhadores” personalizados transparentes. Cada alinhador move o dente lentamente e cada um é usado por volta de duas semanas, sendo substituído pela próxima série até atingir a posição final desejada.

Sim. No nosso consultório utilizamos a técnica dos alinhadores, uma série de placas alinhadoras transparentes e removíveis que corrigem o posicionamento dos dentes sem a utilização de fios.

O tempo de tratamento nem sempre é demorado, dependendo da complexidade do caso e do tipo de aparelho indicado.

As indicações para realizar um tratamento ortodôntico são, primeiramente, proporcionar um bom alinhamento dos dentes, evitar perdas dentárias e proporcionar facilidade para higienização e uma distribuição equilibrada das forças mastigatórias. Com o término do tratamento, o paciente usufrui também do benefício estético.

Sobre Endodontia

Não. Atualmente a evolução das técnicas e dos equipamentos permitem ao profissional especializado realizar a maioria dos tratamentos no tempo de uma consulta, salvo casos mais complexos.

Impedir a remoção do dente e possibilitar que o mesmo volte a desempenhar suas funções mastigatórias com estética e saúde.

Quando os tecidos vivos do dente (nervo e vasos sanguíneos) encontram-se inflamados, infeccionados ou quando perderam a vitalidade, em geral por cárie ou trauma.

É a remoção, desinfecção e preenchimento da região mais interna do dente, conhecido como “nervo”.

Sobre Disfunção Temporo Mandibular

Sim, pois alterações nos músculos mastigatórios, na articulação (ATM) e nos dentes podem causar dores de cabeça.

A ATM está localizada próxima ao ouvido, por isso é comum a sensação que a dor está sendo causada por ele. O dentista especialista em dor, conhece as estruturas anatômicas da articulação, os músculos mastigatórios e as possível interações dentárias que podem provocar sensações dolorosas.

Na cabeça tem uma articulação chamada articulação temporomandibular (ATM), que é responsável pelos movimentos essenciais na nossa vida, como falar, comer, rir, cantar, etc. Quando ocorre uma alteração nesta articulação, um dos primeiros sinais são os “barulhos” (estalidos), os quais precisam ser examinados afim de que se possa elaborar um plano de tratamento.

Alteração muscular pode acarretar dor nos fundo dos olhos, que é tratada pelo dentista por que o músculo que necessita de tratamento é um músculo da mastigação.

Sobre Bruxismo

Barulhos; desgaste dentário; dores na face, cabeça e pescoço.

Pode afetar os dentes, músculos ou a articulação (ATM). Nos dentes, pode gerar dores que levam ao “tratamento de canal” e ou um acentuado desgaste. Nos músculos pode causar uma sobrecarga a qual dá origem aos pontos gatilhos miofaciais (trigger points), os quais dão origem a dores referidas (ou seja em locais diferentes da localização primária deste ponto). Na articulação (ATM), o bruxismo causa microtraumas intra-articulares, levando a processos degenerativos ósseos, como a osteoartrite e a osteoartrose.

É uma força excêntrica gerada no contato dos dentes superiores com os dentes inferiores de forma involuntária. Devido à sua intensidade (pode ser até quarto vezes maior que a força alimentar), é extremamente prejudicial para dentes e articulação.

Sobre Odontologia do Esporte

Os protetores reduzem os danos de impacto na gengiva, nos dentes, nas raízes, nas estruturas e articulação da face (ATM), promovendo o aumento do rendimento físico e a diminuição das tensões musculares.

Os protetores reduzem os danos de impacto na gengiva, nos dentes, nas raízes, nas estruturas e articulação da face (ATM), promovendo o aumento do rendimento físico e a diminuição das tensões musculares.

Não. Se o protetor bucal não for adequado ele pode piorar o rendimento do atleta, em vez de protegê-lo.

Não adianta realizar trabalhos para desenvolvimento muscular se o atleta tiver focos de infecção em sua boca, pois estes limitam o crescimento do tecido muscular, impedindo a obtenção dos benefícios da fisioterapia.

Não. Todo praticante de esporte está sujeito a traumas. Por isso, é importante que o dentista conheça o esporte praticado e os riscos odontológicos que essa modalidade pode ser causar, para que ele possa direcionar o tratamento de forma preventiva.